De acordo com pesquisa divulgada este ano, 20% dos estudantes brasileiros já praticaram bullying contra colegas. No entanto, 51% não souberam explicar o que motivou a agressão. Para ajudar a entender as origens da violência no ambiente escolar e como ajudar instituições a preveni-la, a Abrace – Programas Preventivos lança livro destinados aos alunos do Ensino Médio, que faz parte do Projeto Escola Sem Bullying®

Neste último sábado, dia 6 de agosto, aconteceu o evento de lançamento do livro “Bullying, Ética e Direitos Humanos”, escrito pelo filósofo, pedagogo e especialista em Bullying, e Filosofia e Direitos Humanos, Benjamim Horta, e o advogado curitibano Euclides Vargas,  na Livraria da Vila, no Shopping Pátio Batel, em Curitiba. A publicação faz parte do Projeto Escola Sem Bullying e foi desenvolvido especialmente na aplicação do projeto para o Ensino Médio. Com 232 páginas, a obra explica o bullying escolar de forma clara, objetiva e aborda sinais perceptíveis àqueles que são vítimas, espectadores e agressores. Além disso, instrui os alunos  a como agir diante deste problema, por meio de uma abordagem pedagógica leve e instrutiva sobre o bullying. Definições sobre ética e moral também são abordadas e indicam um novo modo de pensar a respeito das relações do dia-a-dia, trazendo à tona oportunidades de reflexão diante de um assunto tão sério e de graves consequências.

Os autores trazem um Guia Jurídico sobre Bullying e suas implicações legais, que informa sobre os procedimentos legais quanto a recente questão da Lei 13.185 – Programa de Combate à Intimidação Sistemática Bullying. “Falar a respeito o bullying escolar para o Ensino Médio é muito mais que conscientizar os alunos sobre a as psicodinâmicas escolares que acontecem diariamente no Brasil e no mundo. É preciso reconceituar o tema, suas definições, e critérios de identificação, com o objetivo de levantar questões que dizem respeito não somente ao que é certo ou errado/bem ou mau, mas sim ao que é ético, moral, e excelente, e de como estas questões podem nos ajudar a compreender a humanidade do ponto de vista autônomo e empático, possibilitando a reumanização das sociedades”, acredita Horta.

O livro também aborda outros aspectos do ordenamento jurídico brasileiro sobre este tema, incluindo Estatuto da Criança e do Adolescente, o bullying e as infrações criminais do direito comum e na legislação especial, responsabilidade das instituições e pessoas envolvidas no bullying, entre outros.

Escola Sem Bullying: Projeto da ABRACE – PROGRAMAS PREVENTIVOS leva conscientização e prevenção a estudantes

O bullying é um tema preocupante e ao mesmo tempo relevante para a educação, pois está diretamente ligado ao processo ensino-aprendizagem do aluno. Muito além das brincadeiras e piadas de mau gosto, o bullying é um problema que afeta estudantes de todas as idades e classes sociais do país. Recentemente, o assunto ganhou ainda mais visibilidade com a Lei do Programa de Combate à Intimidação Sistemática, o conhecido bullying, em todo o território nacional.

Na prática, a Lei 13.185, define o que é bullying e como as escolas devem agir para levar adiante o programa de conscientização e prevenção. Todo ato de violência física ou psicológica praticado por uma ou mais pessoas contra um indivíduo, na tentativa de intimidar e agredir, é agora definido por lei como bullying e deve ser combatido pelas instituições de ensino. Uma pesquisa presencial realizada pela Abrace – Programas Preventivos, traz dados significativos: 95% dos alunos desconhecem a gravidade do bullying, e 67% sequer sabem o significado da palavra. 

 

O bullying

O bullying não diz respeito somente à agressão física – 89% dos alunos entrevistados em pesquisa da Abrace, por exemplo, acham que apelidos pejorativos não caracterizam bullying. Na verdade, o fenômeno é um conjunto de comportamentos agressivos, intencionais e repetitivos, praticados por um ou mais alunos contra um outro, dentro de uma relação desigual de poder ou força física. Ainda, segundo pesquisas realizada nos Estados Unidos, 78% dos alunos que questionam sua sexualidade, sofrem bullying homofóbico, um número relativamente alto se comparado à outras estatísticas.

O bullying é um tipo de violência que traz diversos problemas para os jovens, comprometendo seu desenvolvimento biopsicossocial, e se estendendo à vida adulta. Dor, angústia, sofrimento, insegurança e desequilíbrio psicológico são algumas das consequências que afetam diretamente o ambiente escolar, comprometendo a real função da escola, formar o indivíduo num todo.

 

Conscientizar, prevenir e apoiar: as diversas frentes do Projeto Escola Sem Bullying

O combate ao bullying envolve várias frentes de ação. Por isso, a Abrace – Programas Preventivos criou o projeto “Escola Sem Bullying”, de ação interdisciplinar, que possui pesquisas, cursos de capacitação, palestras, planos de aula, livros paradidáticos, políticas pedagógicas de prevenção, aplicativos para combate ao cyberbullying e apoio na intervenção e mediação de casos de bullying. É um projeto completo que oferece todo o suporte às escolas para que o bullying se transforme em uma página virada na vida de alunos e professores.

Benjamim Horta, diretor da Abrace – Programas Preventivos, destaca que o programa conta com uma importante análise de resultados: “após o Escola Sem Bullying, 98% dos alunos contam que se sentiram mais à vontade para denunciar agressões. Os professores também apontam maior interesse e motivação dos alunos depois da inserção de práticas de prevenção no dia a dia”, relata. “Visamos por meio do projeto, promover a transformação do ambiente escolar. Mais do que implementar um projeto, queremos instaurar uma cultura de paz, reduzindo os índices de bullying nas instituições, auxiliando alunos e educadores e cuidadores”, reforça Benjamim, que finaliza com um dado muito positivo: “ em média, 94% das crianças e adolescentes que participaram do programa não sofrem mais bullying na escola”.


Sobre a Abrace

Fundada por Benjamim Horta, a Abrace – Programas Preventivos é uma empresa que transforma ambientes sociais por meio da educação, melhorando as relações interpessoais que se estabelecem em diversos locais como escolas, empresas e órgãos públicos. Com sede em Curitiba (PR), promove cursos, politicas pedagógicas de prevenção, treinamentos, palestras, atendimento clínico, dentre outras ações. Benjamim é pedagogo, especialista em Filosofia e Direitos Humanos e estudante contínuo de psicanálise. Começou a trabalhar na área de educação na Inglaterra, onde morou por 4 anos. De volta ao Brasil, criou a Abrace, onde lidera projetos na área educacional voltados a políticas preventivas de violência escolar, assédio moral e promoção da saúde emocional.